Feeds:
Artigos
Comentários

Intranquilidade

tranquilidade

Um sinal alarmante do potencial efeito sistémico é a operação que aqui vem descrita. Se a seguradora comprou papel comercial potencialmente “tóxico” poderá honrar os seus compromissos? E se não os honrar quem honra?

 E daqui partimos para uma outra interrogação: com o colapso financeiro a que assistimos em 2008, muita actividade financeira foi transferida para e/ou ajudada pela actividade seguradora.  Alguém tem olhado para isso? 

Talvez isto possa ajudar: Solvency II for dummies.

Algumas ideias

ideias

st aubyn

Quando compro o Expresso a minha primeira “medida” é seleccionar o que é para deitar fora, e que é normalmente muito. Este caderninho, que vinha com o jornal este fim de semana ia a caminho do lixo, mas a voz da mãe que ecoa na cabeça de todos nós (não deites fora, pode ser importante), fez-me pegar nele e dar-lhe uma oportunidade. “Vamos lá ler mais conversa da treta sobre empreendedorismo”, pensei. Mas não. Para além de algumas generalidades, da paciente leitura integral das trinta e uma páginas do “caderninho”, retirei a frase que  acima reproduzo e que traduz exactamente o que pensava enquanto lia uma análise sobre o preço da incerteza nas políticas públicas baseada em trabalhos realizados por alunos de gestão e economia, sob supervisão de diversos professores (num bom exemplo de como pode e deve funcionar a academia em interacção com o mundo cá fora) que conclui previsivelmente pela importância da estabilidade e do consenso.

 Não tenho dúvidas sobre a vantagem da estabilidade, mas o que é importante são os  princípios fundamentais sobre os quais ela assenta e os objectivos que persegue. Definir o que é importante, o que queremos ser, focar aí e planear é o primeiro passo. Não precisamos de um consenso pelo consenso, mas sim do consenso da maioria das pessoas sobre ideias concretas para a nossa sociedade e a nossa economia, a primeira antes da segunda. Isso é a democracia, sem a qual não quero nem posso viver.

Mas, a democracia é mais do que isso e assenta num princípo básico sem o qual ela própria não existe, a igualdade.

O que nos leva a outro texto que li nestes dias, sobre um livro que gostaria de ler, e hei-de ler:

“Jefferson believed that everyone, including the humblest of black slaves, had this moral sense, this capacity to feel affection toward his or her fellow human beings. This belief, stronger in Jefferson than in any other of the revolutionaries, is what has made him, a slaveholding aristocrat, the perennial spokesman for America’s democracy. Even as they differ on the meaning of equality, however, both Jefferson and Allen agree on one central point. Democracy requires that at some basic level everyone in a society must be considered the same.”

Moral sense”, foi a expressão que aqui me prendeu. Porque é precisamente disso que se trata. Trata-se de “capacity to feel affection toward his or her fellow human beings.”

Estamos no campo dos valores. Não dos valores dos mercados que nos perseguem mas no dos valores que fazem de nós gente. Se eu não valorizar e estimar os meus “fellow human beings”, é a selva.

Por isso mesmo, a desigualdade e o seu crescimento, é um dos temas que mais me interessa e preocupa. Tenho aqui deixado referências à desigualdade (aqui, aqui, aqui e aqui, por exemplo) das quais uma das que me parece mais importante por falar numa das formas de a combater em que realmente acredito, a educação, é esta: a educação vale a pena? 

Porque a educação afasta-nos da selva ou, pelo menos, mostra-nos os caminhos para saírmos dela.

salgado

“Every industry now has its own Washington-based nonprofit to push its agenda. For wireless it is CTIA, and for cable it is the National Cable & Telecommunications Association. There is even an e-cigarettes group called the Electronic Cigarette Industry Group. The new megacorporations, simply by virtue of their size, can use these organizations to lobby for significant change. And with the political-spending rights given to them by the Supreme Court in the Citizens United decision, these corporations are even more powerful. They are able to steer large sums to preferred candidates. Though they have yet to flex that muscle to the extent that they might, the fear that they could do so is enough to give these companies significant political power with politicians.

These companies are already using their power to push profits higher. While the recovery of the United States from the financial crisis has been slow, corporate profits are at a record high.

In other words, today’s outsize mergers are really about power.”

Daqui.

MARKETBASKET-master675

Estará o mundo de pernas para o ar? Não, está tudo certo:

“Yet, as I visited Market Basket stores and talked to employees during the last two days, I saw that they are not just fighting for their ousted CEO and his leadership and guidance. They are fighting for their values, their culture. They are fighting to remain an organization that takes care of its customers and its employees, a place where they can be proud to work.

Several employees told me they worry that Market Basket will become like any other supermarket. They worry that to make a quick buck, the company will increase its prices or reduce its service or reduce employee benefits or profit-sharing — maybe all of these.”

 

Dos membros do Congresso  americano.

rioforte

O Programa de Compliance da Rioforte consubstancia o compromisso da empresa em atuar de acordo com princípios de transparência, rigor e ética. Este programa assenta em três instrumentos fundamentais: O Código de Conduta, a Declaração de Responsabilidade e os Relatórios de Compliance.

 

Aqui: Monitoring the Monitors: How Social Factors Influence Supply Chain Auditors (via HLS).

Paradoxos

doente

No Hospital Beatriz Ângelo, deparei-me com uma listagem de deveres do doente encabeçada pelo dever que aqui reproduzo dado fazer parte das regras de governance do hospital. A fotografia está também ela própria um pouco doente em consequência do estado vagamente cataléptico, próximo do estupor,  provocado à fotógrafa pelo complexo processo exegético que a frase lhe exigiu e que a tornou digna de aqui figurar.

Empreendedorismo

rosil

Na Rua da Madalena.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 62 outros seguidores